domingo, 18 de setembro de 2011

Queimados lança a pedra fundamental da maior fábrica de refratários do mundo

Mais uma vez, dando passos largos rumo ao desenvolvimento, Queimados se destaca no cenário econômico da Baixada Fluminense. Nesta sexta-feira, 16 de setembro, a empresa austríaca – líder global de refratários para os setores de siderurgia, cimento, metais não ferrosos e vidro – RHI AG, lançou a pedra fundamental para a construção da sua fábrica em Queimados, no Distrito Industrial da cidade. As obras de terraplanagem já estão em andamento.

A unidade brasileira da RHI AG vai ocupar uma área de 120.000 m² e o investimento inicial orçado para a primeira fase do empreendimento é de €85 milhões. O início das atividades da fábrica está previsto para o segundo semestre de 2013 e a expectativa é de que sejam gerados aproximadamente 200 empregos diretos e 400 indiretos.

Durante a cerimônia de lançamento o presidente mundial da RHI AG, Franz Struzl, agradeceu a presença das autoridades e clientes presentes, falou sobre a importância da vinda da fábrica para a cidade e do orgulho por estar inserido no mercado brasileiro.

 “Viemos para o Brasil porque enxergamos crescimento e um potencial para sermos ainda maiores. A indústria brasileira é a 7ª maior exportadora de aço do mundo e a responsável pela produção de 70% da liga metálica de toda a América Latina. Vir para Queimados foi uma decisão estratégica por conta da proximidade da Rodovia Presidente Dutra, do Porto de Itaguaí e, em breve, também do Arco Metropolitano. Estamos muito felizes e otimistas”, destacou Struzl.

Para o prefeito de Queimados, Max Lemos, a cidade vive mais um momento crucial para alavancar ainda mais seu desenvolvimento sócio-econômico.

“O lançamento da pedra fundamental da construção da fábrica foi, também, o lançamento da pedra fundamental do avanço econômico não apenas do município, mas do estado do Rio de Janeiro de um modo geral. Acabou de nascer um novo cenário para nós e não vamos medir esforços para viabilizar a instalação da unidade o mais rápido possível. Estamos aqui para ajudar a todos: tanto empresários quanto quem poderá se beneficiar com a vinda de novos investimentos, em especial à população. Precisamos mudar a realidade sócio-econômica das pessoas mais simples da cidade. Até o final de 2012 mais de 31 empresas estarão instaladas no nosso Distrito Industrial gerando, em média, oito mil empregos com carteira assinada”, concluiu Max.

A produção anual estimada da nova fábrica da RHI AG é de 60 mil toneladas, onde mais da metade será destinada ao mercado brasileiro e América Latina. A multinacional também pretende expandir a produção em uma suposta segunda fase de investimentos, gerando ainda mais empregos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixe aqui seu comentário sobre esta notícia.

Postar um comentário