segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Merenda sem veneno e incentivo à agricultura familiar são realidade em Queimados

Com foco no cardápio servido nas escolas municipais, Prefeitura investe na compra de alimentos orgânicos produzidos na cidade

Imagens: Igor Lima/ SEMCOM
Jéssica Moreira - Uma merenda escolar de qualidade, rica em nutrientes e livre de agrotóxicos. Essa é a proposta da Prefeitura de Queimados que, por meio das Secretarias Municipais de Educação e de Desenvolvimento Rural e Agricultura, vai direcionar cerca de R$700 mil à compra de alimentos agroecológicos produzidos por agricultores da cidade.

A decisão acontece em concordância com o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), como explica o Prefeito Carlos Vilela. “Idealizada pelo Governo Federal, essa lei prevê que pelo menos 30% dos insumos utilizados na alimentação escolar devem ser adquiridos junto à agricultura familiar local. Para nós, é um prazer imenso cumprir esta determinação, unindo qualidade no que servimos aos nossos estudantes ao incentivo econômico que esses trabalhadores rurais merecem. A cidade sai ganhando como um todo”, afirma o gestor.

A novidade beneficiará produtores dos assentamentos rurais  dos bairros Fazendinha, Chapadão (Santo Expedito), Capoeirão, Vista Alegre e Vilar Grande e, nesta primeira etapa, deve alcançar cerca de 40 famílias. Para participar do projeto, os produtores precisam ter os seguintes documentos: certificado de posse ou arrendamento da propriedade,  atestado de produtor (emitido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural - EMATER), Declaração de Aptidão da Agricultura Familiar (DAP) e certificado de produtor orgânico.

Sec. Edu. Lenine Lemos (e), produtor Alex Sandro, Sec. Agricultura
Abílio Cardoso, Pref. Carlos Vilela e Dir. de Des. Rural Tarcísio Moura
“Esse tipo de ação gera emprego no campo e uma expectativa de crescimento muito grande para esta categoria. Nossa gestão tem dado um incentivo dez vezes maior que no passado para que os filhos da terra permaneçam aqui, plantando e tendo retorno. Isso dá oportunidade para que haja escoamento da produção agrícola dessas famílias tanto para merenda escolar como, num futuro próximo, também para hortifrutis e supermercados”, declara o  Secretário de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Abílio Cardoso. 

Os interessados em se cadastrar devem comparecer à SEMDRAG  (Secretaria Municipal de Desenvovimento Rural e Agricultura), localizada na Rua Francisco Gabriel Neto, nº 0, Fanchem, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. O órgão também atende pelo (21) 2779-8484.

Comida saudável, alunos felizes

Para a nutricionista responsável pela elaboração do cardápio servido nas 33 unidades educacionais do município,  Naja Reis, a medida de  priorizar alimentos orgânicos e agroecológicos gera um impacto positivo no cotidiano dos estudantes.

“Como profissional de nutrição, vibro com o fato de podermos contar com alimentos livres de veneno no cardápio escolar. Aqui no município sempre prezamos por ultrapassar a meta do PNAE - que é  garantir 200 gramas semanais de frutas, verduras e legumes por criança - e com essa medida conseguiremos fornecer esses gêneros todos os dias da semana. Isso significa mais fontes de vitaminas, minerais e fibras, além de uma mudança de hábitos para este aluno, que passa a ter uma educação nutricional muitas vezes inexistente em casa”, afirma a profissional.

Para ser considerado orgânico, o alimento tem que ser produzido em um ambiente com princípios agroecológicos que contemplam o uso responsável do solo, da água, do ar e dos demais recursos naturais, respeitando as relações sociais e culturais. Não são permitidos o uso de substâncias que coloquem em risco a saúde humana e o meio ambiente, nem de fertilizantes sintéticos solúveis, agrotóxicos e transgênicos (Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional – Caisan).

E é desta forma que Alex Sandro Batista (45) cultiva alimentos como pimentão, pepino, batata-doce, banana, berinjela e alface em seus três hectares de terra. Apaixonado pela vida no campo, o agricultor está esperançoso com a possibilidade de aumentar a renda vendendo sua produção dentro da própria cidade. 

“Vim para Queimados há 30 anos e planto aqui desde então. Minha mulher me ajuda com a logística de separar o que é colhido, pesar, fazer a contabilidade. Se eu pudesse não sairia daqui de dentro. Amo produzir, saber como tudo que consumo é feito, e agora terei tranquilidade para produzir sabendo que a venda das mercadorias é certa”, declara o morador do  bairro Fazendinha.

De acordo com o Secretário Municipal de Educação, Lenine Lemos, a  preocupação com a qualidade da merenda oferecida aos cerca de 16 mil alunos da rede de ensino reflete a seriedade da gestão municipal.

“Estamos trabalhando muito para viabilizar essa política de incentivo aos nossos produtores. Duas empresas que associam os agricultores e organizam a compra e venda desses insumos já venceram a licitação para começarmos. É um sonho antigo dar prioridade aos alimentos produzidos na nossa cidade em um assunto tão sério como a merenda escolar”, frisa o educador.

2 comentários:

deixe aqui seu comentário sobre esta notícia.