quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Projeto leva a arte do Cinema para escolas públicas de Queimados

Jovens estudantes da rede pública municipal irão produzir documentário sobre a realidade de suas comunidades

Leandro Machado - Luz, câmera, e muita ação. Pela primeira vez, cerca de 90 alunos da Escola Municipal Santo Expedito, localizada no bairro de mesmo nome, em Queimados, na Baixada Fluminense, tiveram acesso a equipamentos profissionais audiovisuais e, de cara, já têm um grande desafio pela frente: produzir e apresentar um documentário que trate a realidade de suas comunidades. A aula inaugural foi realizada nesta quinta-feira (2) e as crianças ficaram empolgadas com a missão.
A ação é desenvolvida pelo projeto Círculo Arte Social, em parceria com a Prefeitura, através das secretarias municipais de Educação e Cultura e Turismo, e a empresa de fabricação de louças Duratex. Além da Escola Municipal Santo Expedito, os alunos da Escola José Anastácio Rodrigues, no bairro Fazendinha, também fazem parte do projeto. O artista escolhido para ser o responsável é o queimadense Walter Mesquita.
As aulas serão às sextas-feiras, de 15 em 15 dias, e vão contemplar crianças de 12 a 16 anos, que cursam do 6° ao 8° ano na unidade escolar. O encontro inaugural teve a participação do prefeito Carlos Vilela e dos secretários municipais de Educação, Lenine Lemos, de Cultura e Turismo, Marcelo Lessa, e de Ambiente e Defesa dos Animais, Cacau Nogueira, além da coordenadora do projeto, Adriana Souza, e funcionários da Duratex.
O objetivo do projeto é desenvolver diversas ações culturais com crianças e jovens da rede pública de ensino. O prefeito Carlos Vilela falou sobre os benefícios da parceria: “Eu agradeço a todos envolvidos nesse trabalho importante que é levar cultura das mais variadas formas às crianças. Aprendendo cinema, fotografia, os nossos alunos vão produzir um lindo trabalho e, talvez, descubram talento para a área”, disse.
Walter Mesquita, de 48 anos, é de Queimados e conhece bem o município. Ele é fotógrafo e jornalista e também está entusiasmado com seu primeiro trabalho na cidade: “Minha missão é dar a oportunidade de as crianças terem acesso a equipamentos antigos e de última geração de foto e imagem, mas nosso documentário será realizado com objetos comuns a todos, como máquina fotográfica e celular”, ressaltou.

Sétima arte em destaque e com direito a Oscar

A apresentação final do trabalho ainda não tem data marcada, mas a magia do cinema já mexe com a imaginação das crianças. Lyviah Damascena, de apenas 12 anos, moradora da localidade e aluna do 7° ano, está empolgada com o projeto: “Eu amo arte. Eu já danço e enceno e, agora quero desenvolver outras áreas. Quero conhecer muito mais sobre cultura. Achei maravilhosa a ideia de desenvolver ações culturais em nossa escola”, destacou.

Imagens: Thiago Loureiro/ SEMCOM - PMQ
Uma grande festa será preparada para a apresentação dos filmes. Os alunos das duas unidades escolares vão participar de uma cerimônia para a exibição dos documentários. Segundo a coordenadora do projeto, Adriana Souza, haverá até entrega de Oscar para aqueles que se destacarem: “Sabemos que não será um trabalho fácil para eles, vai precisar de muito esforço, mas serão recompensados. Premiaremos os melhores trabalhos em um evento maravilhoso”, revelou.

A Duratex, parceira no projeto, é uma das empresas instaladas no Distrito Industrial de Queimados. Cerca de 30 alunos da Escola Municipal José Anastácio Rodrigues, no bairro Fazendinha, visitaram a fábrica, na tarde desta quinta (2), e ficaram encantados em acompanhar todos os processos de fabricação de vasos e pias.

Um comentário:

  1. LUIZ EDUARDO DOS SANTOS5 de agosto de 2018 00:22

    Continuaremos nos empenhando e desenvolvendo os projetos com amor e carinho!

    ResponderExcluir

deixe aqui seu comentário sobre esta notícia.